terça-feira, 2 de novembro de 2010

Tá Na Minha Cara!


“Não quero a cara bem feita, não quero o expressivo.
Quero o inexpressivo.”
Clarice Lispector


Resolveste aparecer traste?

Há tanto tempo que eu não tinha o desprazer da tua visita... Longe de mim sentir tua falta, mas conferso que ultimamente estranhei tua ausência, o teu efeito de se exibir por aí manchando minha imagem. Você esquece que graças a mim você existe, tem um lugar para ficar. Isso mesmo! Euzinha - esse ser belo que você tenta imacular. Não me faço de coitada, de vítima. Tú bem sabes o ódio que eu nutro por ti e que toda vez que te vejo eu sinto vontade de te esmagar, de te espremer entre meus dedos até ver o sangue escorrendo, coisa nojenta.

Você suja minha beleza, espinha. Sei que na minha adolescencia você foi até uma companhia digamos "inevitável", era sinal de imaturidade, mas hoje? Incoveniente. Hoje nos meus mais de 20 anos de vida estou cansada de você, sua presença se tornou sem sentido. O que você faz aqui? Sua vida é me irritar em plena TPM, é me fazer gastar minhas economias com coisas que te afastem de mim, é me deixar com a estima baixa... Se toca e some de uma vez - Me deixa em paz!

Krol Rice
← Mensagem mais recente Mensagem antiga → Página inicial

1 comentário:

  1. Acho que não vai adiantar falar isso para a espinha, KAOSKAOSA... Mas não custa tentar, não é mesmo?

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.